quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

"Vida Paralela"

Quem tem um namoro a distância, certamente sofre com a incerteza de estar ou não presente na vida de quem se ama, porque a 500 quilômetros de distância, não dá para se fazer o milagre de participar da vida de quem se ama de pertinho certo ? 

Por mais que todos os telefonemas, mensagens, horas e horas na internet ajudem a diminuir essa distância que há entre nós, não são suficientes para participar de tudo, conhecer a todos os amigos, parceiros de festa, família.... enfim, isso tem um nome: “VIDA PARALELA”. Sim, quem tem um NAD querendo ou não, tem uma vida paralela, afinal, quem amamos tem amigos que a gente não conhece, tem familiares que nunca vimos e tem um dia a dia que não podemos acompanhar de perto.  

Todos querem ter uma vida saudavel, conhecer os amigos do nosso namorado, ou namorada é sim muito importante, mais não dá pra conhecer todos, porque convenhamos que sempre tem aquele ciumes de passar o msn pra todos, e quando viajamos pra estar perto de quem se ama, queremos aquele momento pra nós, e não queremos ficar a todo tempo com os amigos da pessoa não é ? 

Saber lidar com isso, é primordial para uma relação, e a confiança acima de tudo é o principal fator. Sair com os amigos é sim uma coisa que todos nós devemos fazer, porque não podemos passar 24 horas da nossa vida na frente de um computador esperando a próxima data de um reencontro entre nós e quem amamos. E pra isso, precisamos confiar e ter confiança no parceiro (a) porque sem a confiança, vem as brigas, discusões e tudo mais que um namoro definitivamente não precisa. Confiar acima de tudo no sentimento que existe entre as duas pessoas, porque é só pensar: “Se a pessoa que amamos, está topando namorar a distância, mesmo com todas as barreiras que possam existir, sejam elas sociais, culturais, familiares ou religiosas, é porque existe sim um sentimento, e merece sim um voto de confiança, quem passa por cima de tudo pra ficar junto”.

A dica que eu dou é: não fica pensando besteira, e não dá brexa pra imaginação que é sempre uma vilã no nosso caso, de um voto de confiança pra pessoa e peça um tambem, saia, se divirta, e sempre lembre que o amor é isso, confiar e dar espaço a quem se ama, e o ciúmes? Sempre vai existir, em qualquer relação seja a distância ou não, oque precisamos fazer é ter controle da situação, e quando o parceiro quiser sair, porque não sair tambem ? Assim, os dois estarão se divertindo, e no fim da noite muitas histórias pra contar, e lembrem-se sempre que apesar a distância, é com nós mesmo, os NAD que eles fazem planos pro futuro, e quem esperam, se preciso, uma vida pra tar junto, e que todos os momentos que passam com os amigos, não vale a um segundo de felicidade que passam com nós.




Colaboradora:   @LuandaBarbosa

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

A Despedida

Se existe algo que nós do NAD simplesmente detestamos, até em pensar, é a DESPEDIDA!
Se existe algo de péssimo, difícil, ruim em um NAD é aquele momento em que você até pode tentar disfarçar, mas as lágrimas são involuntárias e você só quer que aquele abraço não termine mais...
A despedida é sem sombra de dúvidas a pior coisa em namorar à distância...foram dias incríveis juntos, cheios de amor, abraços, conversas, brincadeiras e passou tão rápido, agora vamos voltar à vida real? À rotina da distância?
Tudo que queremos quando nos afastamos do abraço final é poder voltar e abraçar de novo, de novo, de novo. No segundo seguinte a saudade já voltou, já tomou conta, já existe como companhia.
Ao entrar no avião ou ônibus de volta pra casa, você deseja com toda força que algo mágico aconteça e você precise retornar... "faz a curva avião!", "pára motorista que eu quero descer!"... só que não dá, realmente não dá!
E quem fica, fica com um gosto amargo de que se foi aquela pessoa que tornou os dias muito melhores, e como serão os dias agora??? Sobre um enorme vazio, fica faltando um pedaço, uma parte essencial.
Lágrimas, abraços, promessas, palavras, desejos, tudo junto e misturado nessa tal de despedida.
O que resta é saber que o amor proporcionará um novo encontro, novas alegrias, ainda que depois existam novas despedidas.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Um NAD que deu certo

É grandinha a história.. mas pra quem quer conhecer vale a pena!! Leiam.. vcs vão gostar!! hehe

Pra quem não sabe da nossa história vou contar um pouquinho... antes aviso q é bem diferente de todas q vcs já conheceram antes... é realmente diferente.. e até pra nós dois foi difícil de entender... 

Começa com a história de amor da minha irmã.. que encontrou o atual marido dela num grupo gospel de música e teatro.. eles passaram um ano com esse grupo.. no meio desse ano (2003).. a Tia Syrlene (tia do Binho e mãe do marido da minha irmã! hehe) me encontrou no msn... fizemos amizade pela net.. eu tinha um namorado... mas mesmo assim ela me falou do Binho que tb tinha namorada... e eu falei que nao tinha nada a ver apesar de saber que eu nao estava muito feliz no meu namoro... mas estava conformada... Fabiano do mesmo jeito tb não estava completo com seu namoro.. um certo dia.. mais pro fim do ano... ele tava na casa da tia e entrou no msn com o nome dela... daí eu fui falar com a tia.. mas era ele quem estava lá.. uma simples coincidência?! 

Daí começou uma amizade.. era realmente amizade.. e descobrimos semelhanças.. até pelo fato de estarmos empurrando com a barriga os namoros... decidi terminar e ele tb na mesma época.. foi engraçado.. mas até então era amizade.. nos falávamos quase todo dia.. era como um imã!.. eu precisava falar com ele e ele comigo.. hehe.. um certo dia nos demos conta.. estávamos apaixonados... mas como?! pela internet?! 

Até nós dois não conseguíamos entender... que loucura!.. mas aos poucos entendemos.. bem aos poucos.. decidimos orar então e pedir direção a Deus pra esse sentimento... eu fui fraca numa certa época.. e achei que era loucura demais.. e como todos diziam.. eu sou muito nova.. e enfim..eu achava que não aguentaria a saudade.. a distância.. era loucura demais pra mim... e me afastei um pouco dele...mas nas minhas conversas com minha irmã eu dizia que eu queria alguém igual a ele.. eu sabia que não encontraria alguém igual.. mas no fundo eu queria ele... hehe...mas não durou muito e logo percebi que eu não sabia mais sorrir sem ele.. e quando procurei ele.. ele estava tentando ir para os EUA... eu chorava e orava.. pedindo a Deus que fizesse a vontade Dele.. e ao mesmo tempo confessando que tudo que eu queria era que ele ficasse... era mais uma provação...e durante aquele tempo eu orei muito.. fiz jejum..e esperei.. e ele não recebeu o visto.. não tinha motivo pra ele não receber esse visto.. não tenho dúvidas que foi Deus quem fez com que ele ficasse.... E a alegria tomou conta de nós dois...agora sim.. estávamos prontos pra lutar!! 

E fomos em frente.. foi passando o tempo e nós continuamos orando.. em dezembro desse ano(2004)... Meu amor veio então ao meu encontro... chegou em Salvador no dia 18 de dezembro... véspera do aniversário do meu pai... o sogrão!!.. hehe... eu fui para um casamento... e assim que cheguei na festa recebi a notícia de que eles estavam chegando.. fomos correndo encontrar ele.. e a família de Nelsinho, meu cunhado... nos encontramos num lugar diferente do que pensamos.. hehe.. um posto de gasolina... mas o nome nos fez lembrar uma de nossas conversas... Posto Gabriela... antes mesmo de nos conhecermos decidimos colocar o nome de nossa filha (que teremos um dia... depois de uns 5 anos de casados) de Gabriela... e o filho se chamará Pedro... não por homenagem a ninguém.. são apenas nomes que gostamos.. hehe... no dia seguinte (aniversário do sogrão) Fabiano pediu ao meu pai para namorar comigo..que presente hein?!  

E foi assim que começou nosso namoro.. agora em julho.. na semana do casamento da minha irmã.. Ele pediu ao meu pai para casar comigo..meu pai aceitou e nós ficamos noivos... e então no próximo ano.. no dia 8 de julho de 2006.. estaremos casando.. E que Deus continue abençoando a vida do Fabiano e a minha!! Obrigada!



A Susan e o Fabiano casaram e estão muito bem e felizes!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Uma história de amor


Bom, a minha história com a Nara é uma história bem extensa pelo menos pelo ponto de vista dela. Ela seria a pessoa mais indicada pra contar essa história, mas como ela anda ocupada com a formatura, eu mesmo vou narrar a história e incluir certas partes do que ela passou, segundo tudo que ela já me contou.

Há cerca de 2 anos atrás, eu comecei a frequentar um chat na comunidade do CQC no orkut, onde eu conheci um grupo de amigos,  que até hoje continuam sendo meus amigos. Posteriormente criamos um chat no MSN, pelo qual passamos a nos falar regularmente. Enfim, foi lá onde eu conheci o Raphael, irmão da Nara.
 
Após um certo tempo sendo amigo do Raphael, ele mencionou que tinha uma irmã, que queria entrar no chat. Foi quando eu a conheci em fevereiro de 2009. Inicialmente eu a chamava de "irmã do raphael", o que não deixava ela nem um pouco feliz, a partir daí, começamos a nos falar frequentemente, sempre tivemos muitas brigas, por inúmeras razões. Não namorávamos, éramos apenas amigos, entretanto brigávamos com frequência. Eu sempre me resguardei muito, e não queria me iludir com um relacionamento a distância, portanto eu sempre tentei afastá-la pra que a amizade não se torna-se algo a mais. E vale ressaltar que ela estava namorando quando nos conhecemos, portanto mais um motivo pra eu não alimentar falsas esperanças. 
 
O tempo foi passando, sempre brigávamos feio e sempre voltávamos a nos falar depois, o namoro dela terminou, mas mesmo assim eu não fiz nada. Várias vezes eu passei semanas sem aparecer e mesmo assim continuávamos nos falando após minha volta. 
 
Sempre senti alguma coisa diferente por ela, mas nunca quis nutrir esperanças quanto a esse sentimento, sempre tentei afastá-la, mas ela nunca se deixava sair de minha vida. Com o passar do tempo, devido a coisas que estavam acontecendo em minha vida, comecei a tentar afastá-la mais ainda, e pelo jeito que eu tratava ela, ela parou de me esperar e começou a namorar de novo. Não vou entrar em detalhes sobre esse assunto, porque não é relevante pra história. Enfim, o tempo passou e o namoro acabou, continuei tentando não me aproximar, não deixar que ela soubesse o que eu sentia por ela. Sempre tive medo de me aproximar demais dela, sempre quis manter uma distância porque eu nunca soube que por tanto tempo ela sentia por mim o mesmo que eu sentia e sinto por ela. 
 
O tempo passou, e os nossos amigos começaram a notar que nós amávamos um ao outro, apesar de nunca falar nada. Devido a minha insegurança, mais tempo ainda se passou, até que no dia 27 de junho eu falei pra ela o que eu sentia por ela. Ela disse que sentia o mesmo, então começamos um "relacionamento". Exatamente dois meses e 1 dia depois disso, ela veio pra Belém e começamos a namorar. Posso afirmar com toda certeza, que foi a semana mais feliz da minha vida, de muitas que ainda virão. 
 
Durante esse um ano e meio nós passamos por muita coisa, inúmeras brigas, inúmeras discussões e apesar de tudo pelo que passamos, continuamos juntos, e não importa a distância ou o tempo, eu sei que eu vou sempre continuar a amando.
 
Bom, essa é a história segundo meu ponto de vista, mas eu vou pedir pra Nara te mandar a história pelo ponto de vista dela, você vai ver que é bastante diferente ^^
 
 Colaborador: @yuribritto

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Como não sentir falta de quem está ausente?


Bom gente, hoje eu vou levantar um tema muito complexo, que eu acho que todos que namoram da distância passam por isso: como não se sentir só, mesmo com a pessoa que amamos, não estando presente a todo momento como deveria ser !

Porque mesmo sabendo que você ama e é amado, mesmo sabendo que você está feliz, e verá a pessoa que se ama amanha ou daqui um mês... de vez em quando, bate aquela vontade de ter a pessoa ali, naquele momento, naquele lugar, não amanhã, não daqui a um mês , agora !

Mais sabemos que não é assim, que nossos namoros nunca serão como os de nossos amigos, que bateu saudade, é só dar um telefonema e pronto, problema resolvido, e a pessoa poderá estar do seu lado a qualquer momento do dia, em qualquer horário ou local... com a gente não, bateu saudade? O nosso dever é reprimir isso, dar um jeito de fazer esse momento passar, pra isso não virar carência, que trará consigo a solidão, e ai já viu né ? Fazer um telefonema e a pessoa não atender ? Briga na certa!


Não é fácil pra gente, ter que esperar dois meses ou mais por cada visita daquela pessoa que se ama, se espera tanto, e quando chega, passa tão rápido, e lá vai aquela espera toda de novo, a contagem regressiva para ver, estar, sentir aquele que se ama é perturbante ! Os dias parecem mais longos, as horas parecem meses, e os meses então? Uma eternidade !

Telefone... quem foi a pessoa mais criativa, mais genial e mais apaixonada que inventou esse instrumento de Deus? Quer coisa mais maravilhosa, do que estar com saudade de alguém que não se vê a bastante tempo, ligar e ouvir aquelas palavras: “Oi meu amor, estava com saudades de você...” nossa, ganhamos o dia só por saber que aquela saudade toda, não é só a gente que sente, quem amamos também sente a falta de nossos carinhos de nossos beijos, de um simples olhar...

A música, sempre ajuda muuuuuuuuito quando estamos sentindo a falta de alguém, não há nada melhor do que escutar aquela musica que marca a história de vocês, lembrando daquela ultima viagem que fizeram juntos, ou daquela ultima visita, todas as risadas, os carinhos, as palavras ditas no silêncio de um olhar...

Temos que admitir, que mesmo querendo estar presente na vida de quem amamos, com telefonemas, cartas, e-mail, recados... enfim, todos os meios possíveis de comunicação, não é a mesma coisa de estar do lado de quem se ama todo dia. Mas só por isso, só por essa prova de que a pessoa que amamose stá se empenhando pra fazer parte do seu dia cada vez mais, você vê como a pessoa te ama, e quer estar presente no seu dia- a- dia.

Se sentir só as vezes é inevitável, mas lembrem dos momentos com o parceiro(a) , pensem como é bom amar e se sentir amado, escutem aquela música que faz lembrar das histórias, e sempre, sempre tenham um TIM na mão, pra poder achar a pessoa em qualquer lugar do mundo, não importa os milhares de quilômetros que os separam, porque para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. (Leonardo da Vinci )

Beijos e espero ter ajudado! 
Colaboradora: @luanda_a


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

CIÚME ?!?!

Uma certa dose de ciúme é normal e natural. No entanto, tudo em exagero faz mal. "No banquete do amor, o ciúme é o saleiro, que, ao querer verdadeiro, empresta vivo sabor. Advirta-se, porém, ser erro temperar em demasia. O ciúme, por ser só sal um retrato, se posto demais no prato, não tempera, antes maltrata." (Tirso de Molina) No caso de um NAD, lidar com o ciúme se torna fundamental para uma relação existir. É muito mais fácil confiar quando você poderia esbarrar com a outra pessoa em uma esquina a qualquer momento. É muito fácil não ter ciúmes dos amigos dela quando você os conhece, e os vê até com certa freqüência. Agora, não ter ciúmes quando a outra pessoa sai com os amigos ou algo que o valha a centenas de quilômetros da sua cidade é oooutra história.

 Mas o que é necessário para saber dosar esse “sal” em nossos relacionamentos? Primeiramente, vamos verificar o que causa esse sentimento: medo de perder, insegurança, desconfiança, baixa auto-estima. Essas são as causas mais freqüentes do ciúme. Ah! Faltou uma! A imaginação!! Isso mesmo! Na verdade, uma imaginação derivada dos demais sentimentos listados anteriormente, mas que os intensifica bastante! "O ciúme é o pior dos monstros criados pela imaginação." (Calderón de la Barca) A imaginação faz ver coisas onde não existem, faz aumentar situações bestas a ponto de adquirirem proporções gigantescas. "Os ciumentos sempre olham para tudo com óculos de aumento, os quais engrandecem as coisas pequenas, agigantam os anões e fazem com que as suspeitas pareçam verdades.” (Miguel de Cervantes) Sabendo as causas, torna-se mais fácil saber o que fazer para evitar esse “monstro” que destrói muitos relacionamentos.

- Ame a si próprio: Exatamente! Assim você terá uma auto-estima elevada e o medo de perder o seu amor para outra pessoa será menor!
- Confiança: essencial em qualquer relacionamento, principalmente em um NAD. Se você confia, deixará a outra pessoa livre, sabendo que ela jamais fará algo que prejudique o relacionamento de vocês. A outra pessoa precisa continuar a viver. Tente entender que não há nada que se possa fazer, senão vocês vão virar dois parasitas que só ficam dentro de casa. Quando ela sair, se distraia: jogue videogame, trabalhe, saia também, sei lá, dá seu jeito. Mas CONFIE!!
- Comunicação: Conversem muito e sobre tudo!!!

"Antes de manifestar ciúme que pode tornar a todos infelizes, que cada um se examine a ver se não está em falta com o outro." (Santa Teresa)

Colaboradoras: @natybgiu e Carla

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

"Amor à Distância" - O FILME

Vamos ao cinema? Qual o filme? Ahh, só poderia ser!  “Amor à Distância”...e lá fomos nós, 3 mulheres se identificando com o título e a idéia do filme, e uma amiga para ajudar, no caso das lágrimas serem excessivas! Amiga que, diga-se de passagem, exerceu bem o seu papel, dizendo pontualmente NAQUELAS CENAS a frase que se tornou cômica durante o filme: “meninas agora ainda não é hora de chorar”... então o riso se confundia com as lágrimas.

Mas lá fomos nós! Havia apenas uma certeza: vou me enxergar nesse filme! E não é que foi mesmo?? Isso não inclui as cenas exageradas de sexo por telefone, ou a linguagem excessivamente obscena, mas todo o resto se encaixa perfeitamente para as três!
Histórias diferentes, amores diferentes, vidas diferentes, futuros diferentes, mas algo em comum: a distância!

E em cada cena engraçada [ou dolorosamente verdadeira] nos víamos, sentíamos lagrimas suaves rolarem em nosso rosto [era apenas a gripe! a tosse!], mas naquelas imagens podíamos relembrar cada despedida em aeroportos ou rodoviárias, cada conversa prolongada pelo telefone [bendito TIM! Pra quem pode], ou cada riso compartilhado pelo computador, cada carência e enorme saudade dos personagens.

O filme consegue demonstrar as dificuldades com um toque de bom humor [que para nós muitas vezes não é nada engraçado na prática, mas tudo bem, valeu!] e consegue expressar as maiores inquietações de um amor à distância.

A saudade, as despedidas,  a insegurança de rever depois de muito tempo e (re)conhecer as mudanças, a vida que segue mesmo distantes, cada um em seu mundo, a insegurança por existirem pessoas “possíveis” ao lado, os ciúmes, os medos, as decisões que muitas vezes precisam ser tomadas, as dificuldades para ir ver, o desespero pela presença do outro quando se encontra depois de muito tempo, o problema de não poder chorar junto quando algo ruim acontece, ou não poder simplesmente abraçar o outro, tudo isso é o que o filme traz! E que nós três [apaixonadas e twitteiras] pudemos compartilhar.

Lágrimas? SIM! Risadas? SIM! Identificação? SIM!
Depois da sessão muito o que falar, mas também pouco a dizer, a não ser saber que milhares de pessoas compartilham a mesma dor e alegria de um “Amor à Distância”. Afinal de contas, é por isso que estamos aqui!

Agradeço à @natybgiu e @CarolineCandido pela companhia e por dividirmos essas lágrimas escondidas. E à Liu, nossa amiga que sempre soltava uma frase e nos fazia rir, cumpriu seu papel! Um ÓTIMO filme! Vale a pena pra rir [e chorar, quem sabe?].

@FeFriederick

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Alguns podem chamar de Destino...


Olá! Nosso cantinho cada vez mais com a cara de inúmeros casai espalhados pelo Brasil e mundo afora! E a história de hoje nos mostra como o amor consegue superar barreiras até mesmo de continentes e países diferentes! Esta história nos mostra como vale a pena acreditar no amor e em sua capacidade de superação! Quem nos conta é um casal lindo: @thamiresbengaly e @manuziiinho! Prepare para se emocionar!



Alguns podem chamar de Destino... Outros, de coincidência. Os mais fervorosos diriam que estava nos planos de Deus. Mas independente da explicação, o fato é um só: Eu encontrei a minha alma gêmea entre as mais de 6 bilhões de pessoas que existem no mundo!

Era uma tarde normal de uma semana que para mim sempre foi muito desagradável: A semana após dia dos namorados. Na verdade todo o mês de junho sempre chegava como uma lembrança ruim de que eu estava sozinha mais uma vez.

Sempre fui uma solteira convicta, mas confesso que todo dia dos namorados me dava um vazio que nem todo o chocolate do mundo conseguia preencher. Mas eu nem imaginava que estava prestes a encontrar quem eu mais estava procurando na vida.

Na verdade, ele me encontrou. Independente dos fatores que nos fizeram entrar em um site não muito conhecido para falar com pessoas de outros países, nós estávamos lá naquele dia 18 de junho de 2009. E assim que entrei, vi uma mensagem no meu perfil, que um certo garoto espanhol tinha deixado poucas horas atrás. A mensagem em inglês dizia basicamente o seguinte“ Semana que vem estou indo para São Paulo e então eu vou para o Rio de Janeiro. Talvez possamos nos ver”.  A mensagem era simples, e até um pouco estranha levando-se em consideração de que jamais tínhamos nos falado na vida. No entanto, naquele momento, eu disse para mim mesma que precisava encontrar aquele garoto.

Obviamente, conhecendo a fama das brasileiras no exterior, não demonstrei interesse no primeiro momento. Mas tinha uma necessidade inexplicável de trata-lo da melhor forma possível. Pedi informações sobre aonde ele estaria, e disse que talvez pudéssemos nos ver.
Ele me adicionou no msn, e conversávamos uma vez ou outra antes dele vir para o Brasil. Já em território brasileiro, não conseguimos nos comunicar muito bem, e na semana que ele estava no Rio de Janeiro, eu estava em Angra dos Reis, e infelizmente, nosso encontro não aconteceu. E esse arrependimento só foi aumentando a medida que fui conhecendo-o melhor.

O garoto, a princípio apenas bonito, mostrou todas as suas qualidades em tempo record, e quando eu me dei conta, eu já estava perdidamente apaixonada. Mas aí já era tarde demais. Ele já estava no seu país natal: Espanha. Há 8500 km de mim.

Qualquer pessoa, sendo racional e prática, desistiria. Nossa paixão estava apenas começando, e o momento certo para pará-la, era esse. Mas ao contrário disso, a cada dia demonstrávamos mais um ao outro o quanto estávamos apaixonados. Ele, que antes de vir pro Brasil mal falava ‘oi’ em português, aprendeu a minha língua em poucos meses e no dia 14 de dezembro de 2009, ele me pediu em namoro. Pela primeira vez na vida, essa palavra não me soou mal. Pela primeira vez na vida, eu soube que estava amando.

Ele me disse que voltaria ao Brasil em julho de 2010, e eu me prontifiquei a espera-lo o tempo que fosse necessário. Nossa contagem começou quando faltavam 192 dias. Nosso amor cresceu absurdamente durante os 6 meses . Nos falávamos cerca de 5 horas por dia (quando podíamos, falávamos mais), mandávamos cartas com nossos cheiros, presentes, dentre outras demonstrações diárias que fortaleciam ainda mais o nosso sentimento.

E quando ele enfim chegou, em dia de Brasil perdendo pra Holanda na copa do mundo, foi o momento mais incrível da minha vida! Como um perfeito gentleman, ele caminhou em minha direção com um buquê de rosas geneticamente modificadas (juro que eram muito grandes), e eu só pude correr até ele e abraça-lo o mais forte possível.

Queria que aquele momento durasse pra sempre.
Estávamos juntos. Finalmente juntos.

Durante 25 dias ele esteve na minha casa, convivendo com a minha família e se tornando a cada dia mais, parte dela. Pouco depois dos nossos 7 meses de namoro, ele me deu um anel em pedido de casamento. Aceitei na hora! Acrescentamos muitas memórias e tentamos adiar ao máximo pensar na despedida.

Nos últimos dois dias dele no Brasil, viajamos para São Paulo, para que eu conhecesse seus tios que moram lá. E foi justamente no aeroporto de Guarulhos que a despedida mais dolorosa da minha vida aconteceu.

As lágrimas já não eram o suficiente para extravasar a dor, e a cada passo dado longe dele, em direção ao meu vôo de volta pro Rio, eu me sentia cada vez mais vazia.

Depois de um longo mês de readaptação à internet, Skype, msn, microfones e webcams, começamos uma nova contagem. Dessa vez, sou eu quem está indo para vê-lo daqui a pouco mais de 70 dias. Mas essa já vai ser outra história, dentre as muitas que haverão tendo nós dois como protagonistas...

Sabemos que a nossa espera será de 4 longos anos (o tempo que ele se forma na faculdade para vir pro Brasil), mas a nossa vida juntos, de uma forma ou de outra, já começou.
Porque não importa quão difícil seja, nem o quanto demore. As coisas boas vêm para aqueles que esperam. E como uma vez, em outras palavras, meu noivo me disse: "Todo o caminho até o paraíso encontra obstáculos". Mas o verdadeiro amor É SIM capaz de ultrapassá-los.

Bem, tentei resumir o máximo possível, mas é muito complexo levando em consideração que muitas coisas aconteceram nesse 1 ano e 3 meses desde que conheci meu namorado. Espero que não tenham se cansado muito ao lerem.

Thamires Bengaly

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Presente: uma forma de se fazer presente

Quem não gosta de receber presente? Saber-se lembrado é algo extremamente prazeroso. Por sua vez, presentear é, igualmente, um ato formidável, uma vez que fazer o outro feliz também é uma forma de ser feliz. (principalmente quando esse “outro” é o nosso amor!) 

No caso do NAD, uma “simples” ligação, um email ou uma SMS já se torna um presente e tanto! O que dizer então, quando esse presente vem de uma forma mais caprichada?! Podemos usar nossa criatividade, soltar a imaginação, para surpreender o nosso amor das mais diferentes formas. Com o passar do tempo, vamos conhecendo mais o outro e ficamos sabendo do que o outro gosta, do que não gosta, o que acaba facilitando a escolha do presente. Mas se no seu caso, seu amor gosta de tanta coisa que chega a te deixar em dúvida do que oferecer; ou você já o (a) presenteou com tanta coisa que já não sabe mais o que dar, venho contribuir com algumas sugestões que facilitarão e muito a sua vida (creio eu! hehe).

Achei melhor do que ficar enumerando várias dicas aqui neste post, fazer algo mais simples (mas não menos colaborativo! =P): compartilhar com vocês uma comunidade do Orkut, que é simplesmente perfeita!! Nossa!! Inúmeras idéias maravilhosas! Tem presentes para todas as ocasiões, para todos os gostos, para todas as idades, credos, religiões, cores... rs Enfim: opções de presente pra caramba!! Alguns de vocês podem até já conhecer, mas fica a dica pra quem ainda não conhece. E o mais interessante: dá pra ver as fotos de muitos dos presentes!

Comunidade Presentes Originais: http://lc4.in/r8sD

Depois dessa dica, quero dizer que o importante não é o valor financeiro do presente, mas sim o valor sentimental!! Como disse no início deste post, se um “simples” ouvir a voz já é um mega presente, qualquer “besteirinha” que se dê vale uma riqueza imensa!! O que vale é você se PRESENTIFICAR na sua ausência, através do PRESENTE.




Colaboração de   @natybgiu!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

“Amor não é sentimento, é atitude.”


Oi gente! Depois do sucesso da primeira história do nosso blog e um número enorme de visitantes, temos uma nova história de AMOR! A  @Brendapantoja e o @jonathankbral vieram contar sua história para nós!  Então fiquem atentos, leiam, emocionem-se  e comentem!

Nos conhecemos em 2007. A medida que nos conhecíamos, mais admirados ficávamos com as características um do outro. Seguindo o mesmo Deus, caminhávamos juntos. Os meses foram passando e nós continuávamos a ser amigos, mas cada abraço começava a ter uma entonação diferente, o coração batia mais forte cada vez que nos encontrávamos... cada vez mais queríamos estar mais pertinho um do outro.

            
Mas alguns acontecimentos acabaram tardando o momento de ter a coragem para iniciar nossa caminhada juntos. Passados dois anos de convivência, já tínhamos certeza de que conhecíamos um ao outro o suficiente e a paixão ficava cada vez mais difícil de esconder. Os olhares já eram diferentes, os abraços mais intensos e o carinho acima da média.
            

No início de julho de 2009, fomos à Mosqueiro (praia) com um monte de amigos. Foram dias ótimos, nos divertimos muito. Mas ao mesmo ponto que nos divertíamos, ainda não tínhamos a certeza de que um gostava do outro... Que tortura!
            
Depois de umas duas semanas, já em Belém, saímos pra passear com os amigos. Nesse dia conversamos e expomos nossos sentimentos. Porém, nada demais aconteceu. Quer dizer, deste dia surgiu nossa música. Feita pelo primo e pelo irmão do Jonathan... Foram meses de encarnação. Toda a família aprendeu a música.
            
Enfim no dia 20/07/09 fomos convidados para assistir filme na casa de uma amiga. Mesmo não gostando de sair de noite, estávamos ansiosos pra nos encontrarmos e fomos! Esse sim foi o nosso dia! Durante o filme, beijinhos na bochecha e carinhos. Até que enfim tivemos nosso primeiro beijo. Então iniciamos nosso namoro.
            
Ia ficando cada dia mais belo, íamos aprendendo sempre mais... Embora só nos víssemos aos finais de semana ( raramente durante a semana, devido os estudos ), era muito bom.

Porém, aos 3 meses de namoro, Jonathan recebe a notícia que iria morar no Rio de Janeiro no ano seguinte ( 3000km de distância...).  Já havíamos conversado sobre essa possibilidade, mas ainda assim foi um golpe duro.

Conversamos bastante não só nós dois, mas com nossos pais, amigos e com o pastor da nossa igreja. Oramos bastante, afinal procuramos sempre alicerçar nosso relacionamento no firmamento que é Cristo, e cada vez sentíamos mais paz.

Fomos aprendendo a confiar mais e mais um no outro e amadurecendo juntos, aprendendo um pouquinho do que é a vida a dois. Aprendendo a amar, aprendendo a abrir mão, aprendendo a escutar, a aconselhar, ter paciência e etc...
            
Então procuramos aproveitar os meses seguintes da melhor forma, procurávamos nos ver com mais frequência, sair juntos, aproveitar a presença um do outro.

Até que chegou o dia de viajar. Já havíamos conversado bastante, tínhamos decidido continuar mesmo sabendo que não seria fácil, que haveria barreiras e momentos de fraqueza. Mas confiamos em Deus e nos lançamos nesse campo, até então, desconhecido.

Não foi nada fácil. Os primeiros dias foram de intenso sofrimento, não só porque estávamos longe, mas também porque era difícil nos falarmos.

Com o passar da semana trocávamos cartas, e-mails e SMS... cada carta que chegava, tinha um gostinho diferente... era o coração acelerado, ansioso, era a vontade de sentir-se mais perto por um instante, aspirar o perfume novamente...

Neste meio tempo, inovar e surpreender foi fundamental. Aquele sms inesperado, um email romântico na caixa de entrada, cartas surpresas e até uma cesta de café da manhã (ele me mandou no meu aniversário!) ou um bolo de chocolate (ele adora o bolo da mamãe, mandei pela sogra pra ele)! Os agrados mostram o quanto você pensa, se importa, quer agradar seu amor.

Passaram 5 meses até nos encontrarmos de novo, em julho deste ano. Foram 28 dias juntos, na Cidade Maravilhosa, matando a saudade, passeando, discutindo a relação e tendo mais certeza de prosseguir juntos... Estamos renovados para mais um período distantes. Não que seja fácil, mas temos nos fortalecido na certeza do amor um do outro e do nosso Pai. Essa é a nossa história, que começou há um ano atrás... Ou melhor, este é o começo da nossa história!

Namorar a distância não é impossível. Amor vai além de beijos e carícias. Envolve sonhos, planos, atitudes! Deus abençoe vocês, dê sabedoria para cuidarem do coração que lhes foi entregue, mesmo que esteja longe.


Brenda Holanda 






quarta-feira, 15 de setembro de 2010

É gente! Temos a nossa primeira história de AMOR à DISTÂNCIA do nosso blog e ele vem de um casal de seguidores: @RafaelBrazeiro e @nanicolinda! Preparem os corações, os sorriso e as lágrimas! Pra você que acredita no AMOR, vai passar a acreditar ainda mais!

"Parece clichê, mas nem de longe seria isso...o maior de todos não chegaria perto da novela que teria seu capitulo inicial em março de 2010, precisamente no dia 23 as 20:00hs da noite...

Antes de tudo vou me apresentar, me chamo Rafael Cunha Rodrigues, tenho 22 anos e sou do signo de câncer, sim, um meloso dramático, amante das boas lembranças (e das ruins também) sensível até a alma... e músico (?)

Nossa novela tem inicio numa tranqüila noite de terça feira, onde este que vos fala somente procurava distanciar a cabeça dos problemas cotidianos, e para um bom nerd, aonde se faz isso? Num computador é claro... (tem a cerveja também, mas em dia de semana não pode haha), nosso tão amado e odiado (agora mais odiado que nunca devido as atualizações) orkut, sempre me trouxe alguma distração em dias assim, procurando isso, mais exatamente em uma comunidade chamada "Todo Pokémon Evolui" me vi frente a milhares de jogos de comunidade, é claro todos muito bem proveitosos, escolhi o primeiro que vi na lista : "O que você diria para a pessoa acima?", não me recordo o que disse para a pessoa assim citada mas fiquei curioso para saber o que iriam dizer sobre mim, alguns minutos mais tarde, uma mocinha sorridente e TREMENDAMENTE linda me respondeu "Rafael = Sério". É claro que eu não poderia sair do jogo agora, gostei do meu adjetivo (apesar de não ser nada sério), eu rebati ("Viviane = sorridente") e isso me bastou pelo dia, resolvi voltar pra minha página e pensar na morte da bezerra...

Qual foi minha surpresa quando a moça sorridente havia me deixado um recado, minutos após a minha saída da comunidade, o recado dizia "sorridente, eu sou sim"...

Meus caros, eu nunca acreditei em destino...talvez algumas coisas sim, estejam fadadas a acontecer, mas não é por isso que eles IRÃO acontecer, mas lhes confesso que a partir dessa pequena troca de recado, devido a uma delicada pitada de "acaso" tudo começou. No inicio (e ate hoje, diga-se de passagem) éramos inseparáveis, a conversa fluía incansavelmente e interminavelmente até quase o sol raiar, coisa mágica, simplesmente era o tipo de pessoa formidável que a gente busca a vida toda e nunca acha, e tudo de bom, e tudo isso que eu já disse e...só amiga...ou pelo menos, era pra ser assim...

Em nossas conversas começamos a achar pontos em comum (todos), relacionamentos problemáticos, o fato de ambos termos sido quase casados e ter dado errado, experiências semelhantes que cada vez mais nos uniam de uma forma tão tremenda, que eu fiz questão de ligar pra minha "recém" amiga no dia de seu aniversário, ouvir a voz da pessoa que alegrava e alegra todos os meus dias não tem preço, é uma sensação única, confesso que a partir dali comecei a ver minha querida com outros olhos...mas quem me conhece sabe...eu sou caranguejo, e nunca vou direto ao ponto, eu vou cercando...

Passados alguns dias, novamente em nossas conversas (que temos até hoje, falando sobre tudo e de maneira tremendamente transparente), ELA, sim caro leitor, pode me chamar de bicha, mas quem deu o primeiro passo foi ELA, como eu já disse,  eu queria mas ela foi mais ligeira do que eu (como em várias outras vezes) que me revelou estar nos imaginando de outra forma...não só como amigos...é claro que eu, nerd, gordo e profundo amante de desenhos animados, não soube como agir direito...e até hoje ela me diz que, justamente esse meu modo "diferente" de encarar as coisas é que encanta tanto ela...vai entender...

Começamos o romance a distancia, e mesmo assim, sem ter tido nada "real" propriamente dito, já era difícil conter aquele velho aperto no peito, bem conhecido de vocês, caros amigos praticantes do namoro a distancia... tão difícil era conter que eu resolvi (afinal, eu tinha que fazer algo né?), eu estufei o peito, abri a boca e disse: "To indo pra Porto Alegre"...são só 3987km minha gente...mas pra que existe avião? É claro que eu fui, e chegando lá qual foi minha surpresa? Sim, era realmente tudo aquilo que esperávamos, foram 4 dias maravilhosos e inesquecíveis... Eu tava junto daquela menina sorridente que há alguns meses atrás eu não sabia que existia, e agora se prontificava ali ao meu lado, me abraçando e beijando, a sensação é indescritível, foram dias de ótimos acontecimentos mas um deles merece destaque especial, nós sempre soubemos que nosso amor, devido a distância e aos empecilhos que a vida oferece, nos provaria de todas as formas, e com isso, sempre que falávamos de amor, nos vinha em mente o texto Biblico Corintios 13:13 que fala sobre isso, sobre o amor verdadeiro que suporta tudo. Nesse belo domingo (dia 23 de maio, em que completávamos 2 meses de "acaso") um anjo na praça da redenção nos entregou um bilhete...e adivinha qual era a citação do mesmo? Sim, a citação do amor que Corintios 13 fala (as fotos em anexo e que serão mostradas aqui, provam isso), foi o melhor presente que poderíamos ganhar  naquele dia!

Tão repentina quanto a decisão de ir pra lá, foi a ficha cair e eu perceber que já estava embarcando em um vôo doméstico rumo a minha Belém, a dor da partida nunca foi tão ruim...e tão boa...

A partir dai, tudo aquilo que imaginávamos como seria, tomou outro patamar, agora sabíamos exatamente a sensação de se beijar, de se abraçar...era tudo simples e completamente real, a história mais louca da minha vida começava a fazer sentido, e como dizem os sábios, é na loucura e no inesperado, que você irá encontrar sua sobriedade (não sei de onde tirei isso)...

Já fazem quase seis meses que eu encontrei o amor da minha vida, já fazem quase quatro desde o dia em que eu fui lá em Porto Alegre e fizemos acontecer... e quer saber? Essa historia ainda está no prólogo, ainda nem entramos na parte principal... tínhamos em mente que no mínimo em três anos estaríamos morando na mesma cidade, com um toque de Deus (e também por que não dizer, da sorte) , esses três anos foram encurtados pra menos de seis meses... 2011 será um ano de mudanças, de renovações, de mudança de cidade...e sobretudo isso, de curtir o amor e de fazer ela acreditar cada dia mais, cada hora mais, que é verdadeiro...e que o acaso é simplesmente um toque de Deus, feito para provar que em um mundo tão caótico e turbulento, ainda existe amor verdadeiro, que mesmo no deserto seco e áspero...ainda podem-se brotar rosas...

Essa foi a minha história...essa é a minha vida!
Obrigado pela atenção e desculpem pelo humor exagerado e por ter extrapolado nos detalhes...

Saudações Cordiais  
Rafael Cunha

sábado, 11 de setembro de 2010

SAUDADE



Saudade…
Sentimento tão nosso que carece de definição, extensamente se tenta definir, mas não sendo possível, apenas sente-se
Saudade daquilo que por ser tão incrivelmente bom, marca as nossas almas e fica difícil não sentir saudade
Saudade que não se sabe como dizer, que fica num enorme vazio não preenchido com as palavras, não suficiente para as lembranças
Saudade banhada com lágrimas e esperas muitas vezes não recompensadas, ou adiadas
Saudade acompanhadas de esperas sem fim, espera para ter tudo que se teve e não se tem, para sentir novamente o prazer de ser completo, ainda que os instantes se tornem incompletos
Saudade que vem depois da despedida, tão terna e doce, que precisaria ser guardada numa caixinhas de recordações
Saudade que nasce do amor, que nasce da separação, que nasce do não poder, não estar
Saudade é um não, um não de muitas coisas que deviam ser sim
Saudade sob o mesmo céu, o mesmo sol, o mesmo luar
Saudade acompanhada pelas estrelas e seus pedidos, de que aquele vazio termine sem nos sufocar
Saudade que sufoca, como uma falta de ar, uma falta de respirar, uma falta que falta sempre, um ausência, um não ter
E não se sabe dizer, não se sabe o que fazer, a não ser chorar, lembrar, desejar, esperar
E o abraço? E o beijo? E a distância? E aquele segundo de sonho que fica no mais profundo da memória?
SAUDADE!



Colaboradora: @FeFriederick

Namoro à Distância??

Pois é! Estamos aqui!
Depois de um Twitter movimentado, o @NamoroDistancia, os followers pediram por um blog, um cantinho só nosso, onde possamos dividir histórias, músicas, vídeos, frases, poesias, declarações e fotos dos nossos namoros à distância (NAD).
Então o blog tem esse objetivo! Ser o nosso cantinho de compartilhar, de trocar, de nos identificar e reconhecer como é possível para o amor superar grandes barreiras!
Então entre! Fique à vontade!
Se você tem um amor distante aqui é o seu lugar!
Leiam os posts e comentem!! 
Dêem suas opiniões e sugestões!
E caso você tenha Twitter, siga-nos: @NamoroDistancia
E nosso msn para bate-papos: namoro_distancia@hotmail.com

"Saudade: nossa rotina"